sábado, 25 de agosto de 2012

Minha casa na árvore

Hoje é sábado. Um dia especial no meio do universo para descansar da semana. Acho que Deus foi inteligente em destinar um momento no espaço e no tempo para freiar a loucomotiva da vida. Busco conforto musical para acalmar o coração. Clique Aqui e conheça a Marcela Gandara.

Semana desafiadora. Meu Enzo está com sinuzite e algumas noites foram realmente muito sombrias. A tosse e o desconforto dele com essa maldita doença  nos colocaram a prova. Mas enfim,  ele está sendo medicado e estamos tomando os devidos cuidados. Como toda noite sombria no mundo, sei que essa também vai passar.

Estou morando numa fortaleza. Depois de ser assaltado diversas vezes em minha casa agora coloquei grades nas portas, nas janelas, no pátio. Acho isso tão absurdo porque me sinto uma passarinho numa gaiola. Gostaria tanto que pudéssemos viver em casas sem muros. Portas sem trancas, janelas sem ferrolhos,  libertos para uma felicidade social mais expressiva com as pessoas ao nosso redor. Infelizmente não é assim…

Uma prisão sem muros

N omeu trabalho tenho essa satisfação de volta e meia rever amigos e colegas da antiga. Cara 30 anos nas costas e o mundo girou demais! Mas é legal saber que os amigos do Terceirão estão por aí e meu desejo é sempre vê-los bem. E nesse algoritimo da vida, visitei a casa da mãe de uma amiga minha dos tempos de escola.

Mas quando perguntei pela minha colega para o irmão dela,  senti na voz do garoto um incômodo ao responder. Meu sorriso desapareceu pois ele se forçou a dizer gentilmente a frase que jamais deferia ser dita em nossas vidas… ela partiu!

Uma garota linda, uma mulher perfeita, uma colega muito parceira, porém o câncer não da trégua a ninguém. Leva nossa saúde, nossos sorrisos e nossos amigos…
A morte nem sempre é algo com o qual conseguimos explicar ou compreender.  Isso se dá pelo fato de que acredito que o ser humano jamais foi criado para tal causa e efeito. Viver é algo intrínseco dentro de nós. Explodir de felicidade e vida, esse é o nosso destino… pelo menos foi o conceito original.

Quando ela surge em nossas vidas nublando os dias de sol, o medo, a dor e a tristeza invadem nossas vidas nos aprisionando numa prisão sem muros privando a gente de ser feliz.  Depois que sai da casa, não resistí,  deixei uma lágrima rolar…

Esperança

Antes de encerrar o dia, conversei com a mãe da minha amiga de forma serena e tranquila. Conversamos sobre os dias finais dela, sobre a luta contra a doença, os momentos de dor e tristeza, e juntos descobrimos que a vida tem mais momentos bons do que você possa perceber. Ví uma menininha linda de seis anos com o sorriso e o rosto dela caminhando por ali, cheia de vida e inocência. Uma pedacinho da minha amiga deixado nesse mundo complexo e que uniu a família mais ainda.  Vejo no sorriso das crianças esperança e alegria!

A vida tem seus mistérios e viver vale apena. Mesmo que nossas vidas sejam tão curtinhas, podemos vivê-la intensamente a cada segundo. Cada momento com os amigos, cada chamego com a família, cada sorvete lambusado na camiseta, macarrão com molho, filme assistido, livro lido, foto tirada, cada gesto, cada ação, cada palavra… tudo isso deixamos uns para os outros. A dor da partida é dolorida, mas a experiência da vida deve ser sentida em cada amanhecer.

Quando voltei para casa curti meu filho brincando com seus carrinhos. Juntos agradecemos por mais um dia de vida compartilhada. Nunca se sabe quando será o último por isso, viver é bom demais, ainda mais com esperança de dias melhores… Papai do céu é bom com a gente!
Em homenagem a minha amiga, gostaria de deixar um desejo que tenho, compartilhado com vocês que vieram aqui na minha identidade virtual.

“Um dia terei uma casa na árvore, num lugar onde onde não haverá despedida.
 Uma casa sem trancas nem ferrolhos, sem portas ou janelas medidas.
Uma lugar onde a vida será mais divertida sem a paranóia do mundo em que vivemos.
Onde cada um de vocês poderão me visitar na árvore, a medida que juntos crescemos…”

A gente se vê amiga, na minha casa da árvore…
casaarvore

E você, o que acha de tudo isso?

3 comentários:

dani disse...

Lindooooooooo, confortante, que bom que temos essa esperança. que o nosso maravilhoso Deus nos deixou!


















Denny Baptista disse...

Moro num apartamento apertado, mas agradeço todos os dias pela segurança que tenho aqui. Não consigo imaginar o quanto deve ser difícil o que vcs passam. Mas Deus nunca nos abandona.

Qual colega sua faleceu, eu conheço? Fiquei curiosa e meio triste, mesmo sem conhecer...

Que bom que tu te inscreveu no mosaico, assim o povo te acha fácil por lá.

Desculpa demorar a te responder, sempre leio teus posts, recebo no e-mail, mas acabo protelando o comentário por falta de tempo.

Abração Milani, e boa semana!

Marcelo Milani disse...

Ela se chama Tuane. mas não lembro o sobre nome dela. Ela tem um irmão e uma irmã. A gente estudou no tempo do segundo grau. É o segundo colega que perco pro câncer...
Bem, to todo dia no teu blog Denny, e o volta mundo blogueiro que conheci no teu blog foi fantástico. Quero ver você no blog das meninas, Bjaum Denny!

Postar um comentário

 
;